quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

GEBEM - Grupo Espírita Dr. Bezerra de Menezes (Guarulhos)

Instituição filantrópica reconhecido de utilidade pública municipal através do decreto lei 3.078 de 18/12/95

Em uma reunião no plano espiritual, Bezerra de Menezes e outros trabalhadores do bem, debatiam sobre a idéia de Allan Kardec, de que é melhor ter vários centros pequenos na periferia das grandes cidades, do que um só, grande, devido aos problemas causados pela distância e dificuldades de administração. Consoantes esta idéia é que escolheram a cidade de Guarulhos para a edificação de mais uma obra sob a égide de Bezerra de Menezes. Ficou também estabelecido os objetivos que seriam; 

1.o) Divulgação e Estudo da Doutrina Espírita. 
2.o) Apoio à criança. 
3.o) Apoio à velhice. 
4.o) Atendimento à Saúde Pública. 
5.o) Apoio à Mãe Solteira. 

Em 1975, reuniram-se no Parque Cecap, município de Guarulhos, um grupo de pessoas espíritas com a intenção de fundar um centro espírita. Todos eram pessoas militantes da doutrina, deste e de outros municípios. Assim firmaram compromisso de fundarem mais uma casa, de onde pudesse ser levado aos corações aflitos, a beleza da doutrina codificada pôr Kardec. 

Era o plano de Bezerra se materializando em Guarulhos. Designou no plano maior o guia e protetor Prof. Maurício para secundar e amparar os esforços do grupo. Prof. Maurício revelou-se excelente administrador. Desde o início suas comunicações lúcidas através do nosso irmão Paulo Sérgio dos Reis norteou os parâmetros da obra que Bezerra pretendia realizar. Espírito bom e inteligente, seguro, daí pôr diante nunca se afastou do grupo ao qual sempre deu demonstração de afeto e amizade. Chamou a todos, logo nos primeiros dias, e perguntou um a um se estavam dispostos a levarem avante a tarefa. Diante da resposta afirmativa, ele disse que, Bezerra sempre estaria amparando, que o trabalho não se interromperia, que muitas pedras teriam que ser removidas, muitas dificuldades vencidas, mas que os trabalhadores não se abatessem porque a obra pertence ao Cristo. 

Assim surgiu o Grupo Espírita Dr. Bezerra de Menezes, com seus estatutos registrados e com a ata de fundação assinada e datada de 25/jan/1976. No Estatuto perfeitamente legíveis os objetivos traçados pôr Bezerra de Menezes no plano espiritual. Realmente muita dificuldades foram encontradas, muita barreiras, mas com apoio dos espíritos tudo foi sendo vencido. 

No início as reuniões eram realizadas nas casas dos companheiros, logo devido ao grande afluxo de pessoas, se tornou necessário alugar um outro local para se fazerem as reuniões. Foi alugado um outro apartamento no mesmo condomínio. Passamos ai momentos muito difíceis, uma vez que os vizinhos não aceitavam as atividades que ali eram desenvolvidas. Pôr preconceitos religiosos ou pôr desconhecimento, muita vezes fomos barrados sob gritos de que éramos macumbeiros e com tentativas de impedir a realização das reuniões. Até que um dia se tornou impossível continuar devido as pressões que exerciam contra as atividades.

O Núcleo Espírita Batuíra, através de sua presidente D. Lídia, nos cedeu uma sala emprestado, em troca a auxiliávamos no atendimento aos seus assistidos. Aí ficamos pelo prazo de um ano, e voltamos novamente para o Parque Cecap, desta vez para o condomínio Rio de Janeiro. Sendo que aí continuamos a ter os problemas acima descritos. 

Foi resolvido comprar um terreno na Vila Barros e logo começamos a construir. As dificuldades continuavam. A falta de verba obrigava que a construção fosse feita em mutirão. Mudamos com o prédio ainda em construção, era apenas um barracão de 12x8 mts., sem piso, sem câmara de passes, etc. Mas graças à colaboração de muitos que abraçaram o nosso ideal e aceitaram os postulados da doutrina, conseguimos vencer. Hoje parece uma mansão, como dizem os amigos espirituais e é conhecida como "Casa Grande de Bezerra de Menezes". Esta A NOSSA SEDE, DE ONDE A OBRA SE EXPANDIRIA. 

Pôr esse tempo já prestávamos assistência aos carentes da favela de Cumbica, com visitas nos lares, preces e doações de alimentos e roupas. Foi quando surgiu a idéia de construirmos ali um local para melhor prestarmos a assistência. Assim em um terreno cedido pela prefeitura construímos um barracão de madeira de 12x8 metros quadrado, onde ministrávamos aulas de pré - primário a 30 crianças no período matutino. A manutenção desta obra era fruto do trabalho abnegado de vários irmãos e irmãs na administração, na ministração das aulas, arrecadação de fundos através de eventos festivos. Após anos de atividades, a prefeitura nos cedeu o terreno em que estava o barracão, em comodato pôr trinta anos e a diretoria resolveu construir o prédio de alvenaria devido a problemas com a higiene que estávamos tendo. Construímos um andar com 2 salas de 6x4, uma cozinha e um refeitório e dois banheiros. Posteriormente construímos um 2.o andar com o mesmo formato da parte inferior.

Hoje já são 240 crianças atendidas, às quais damos aulas de pré - primário, materiais escolares, alimentos e remédios. Todos estes serviços são oferecidos gratuitamente. Este núcleo foi denominado Núcleo Assistencial Irmão Francisquinho.

Depois foi mudado para "Núcleo Assistencial Bezerra de Menezes - Escola Irmão Francisco". (Irmão Francisquinho é um Preto Velho que desde o começo do Grupo, tem nos trazido orientação amiga e segura. Bondoso, é no plano espiritual o braço direito do professor Maurício. Pôr isso merecidamente recebeu esta homenagem. Hoje sabemos que ele sempre foi o responsável espiritual pôr aquele núcleo. A alguns anos separou-se do nosso grupo, vários companheiros com a intenção de fundarem um asilo para idosos. Para se dedicarem integralmente às novas tarefas acharam melhor se desligarem do centro. Começaram suas atividades em Cumbica, em uma casa cedida gratuitamente pôr um dos confrades. Ali albergavam senhoras idosas e faziam reuniões doutrinárias. Logo, devido ao grande afluxo de pessoas surgiu a idéia de fundar juntamente com o asilo um novo centro. Lutaram e conseguiram a doação de um terreno no Haroldo Veloso onde levantaram também um barracão de madeira e transferiram para lá suas atividades doutrinárias.

Neste local esta sendo construído o "Centro Espirita Tia Maria Isabel' com estrutura para atendimento e assistência aos idosos, com o nome "Lar dos Idosos Dr. Bezerra de Menezes". 

Esta obra tem vida própria, sua administração é feita pôr diretoria eleita no Centro Tia Maria Isabel e são separados também os meios de arrecadação de fundos para manutenção, embora as equipes das duas entidades se ajudem neste mister. A equipe espiritual que dirige as duas casa é a mesma, dirigida pôr nosso querido Prof. Maurício, pôr isso o vínculo forte, além da grande amizade que existe entre os companheiros trabalhadores. Os mentores dizem sempre, que somos uma só entidade, dando seguimento a obra de Bezerra de Menezes. Assim a obra já atende 4 (quatro) objetivos principais: 

1.o) Ensino e divulgação da Doutrina Espírita. Que é feito em todas as reuniões públicas e nos cursos ministrados. 
2.o) Atendimento à Criança - No Núcleo Assistencial Bezerra de Menezes. 
3.o).Atendimento ao Idoso - No Lar de idosos Bezerra de Menezes. 
4.o) Atendimento à Saúde Pública 

Falta um grande objetivo que é o Apoio à Mãe Solteira, que o plano espiritual diz que faz parte dos objetivos de Bezerra de Menezes. No início éramos treze pessoas, hoje somos muitos, levando amparo e conforto aos necessitados. Hoje temos reuniões em todos os dias da semana, e segundo os mentores, enquanto não forem preenchidos os horários vagos nos períodos da manhã e tarde, a casa não deverá crescer mais em trabalhos espirituais. Cada departamento e cada reunião do Grupo está confiado a companheiros de responsabilidade, de dedicação extremada e de total confiança da diretoria da casa. Pôr isso cada trabalho tem dado resultados positivos. 

No plano espiritual os trabalhos foram divididas em 4 áreas principais e coube cada uma delas a um espírito responsável como segue: 

1.) Área de Estudo e Divulgação Doutrinária - Responsável Irmão Francisquinho. Compreende esta área todas as reuniões públicas, cursos de PBDE, COEM, Escola de Médiuns, Curso de formação de trabalhadores, ou qualquer atividade que envolva ensino doutrinário. 

2.) Infância Espírita - Responsável Meimei. Compreende a infância de 3.as, 5.as, e sábados, Pré- Mocidade e Mocidade. Toda atividade que envolve a infância. 

3.) Área da Mediunidade - Responsável Irmão Ubirajara. Compreende todas as reuniões de visita aos lares, Grupo de Base, Desobsessão Geral, Desobsessão de 4.a, 6.a, Mocidade, e controle das entidades no centro e controle dos ambientes das reuniões quanto a invasão da entidades indesejadas. 

4.) Área de Assistência Espiritual - Responsável Dr. Castilho - Atendimento Fraterno, Reuniões de intervenções e intervenção à distância. 

5.) Relacionamento Humano - Responsável Tia Maria Isabel. Compreende a área da psicologia, Grupo de Jovens, Recepção e tudo o que se refere a promover a união entre os trabalhadores da casa. 

Hoje, graças ao trabalho e dedicação de muitos companheiros, esta casa é respeitada na comunidade Guarulhense. No plano espiritual congrega falanges muito grande de espíritos dedicados ao bem. Isto aumenta a nossa responsabilidade perante a sociedade e Jesus, nosso Guia maior. Só nos resta reiterarmos a Ele nossa disposição para continuarmos o trabalho, agradecendo a oportunidade a nós conferida. 

O início de nossa história gira em torno da personalidade de João Castardelli, que viveu apenas 23 anos (1920-1943), sempre se dedicando ao estudo e a prática do Espiritismo, através das reuniões de estudo do “Evangelho no Lar” que ocorriam na sua casa. Após mais ou menos um ano de seu desencarne, começou a se manifestar nas reuniões espíritas que a família continuou a fazer, transmitindo orientações espirituais aos necessitados sempre dizendo aos presentes que num futuro próximo, o grupo desempenharia uma grande missão no campo da assistência social. Com o passar do tempo, o que era até então uma reunião familiar passou a ser uma reunião pública, sempre atraindo mais pessoas.

O pai de João Castardelli – o Sr. José Castardelli, mandou construir um grande salão sobre a sua residência localizada à Rua Ezequiel Freire nº 732 – em Santana – SP, que acabou por tornar-se sede social do Centro Espírita Nosso Lar por 36 anos, até a aquisição de um terreno e construção da nova sede à Rua Duarte de Azevedo nº 691 - em Santana – SP, na data de 28 de Janeiro de 1949.

Criou-se por consequência do trabalho desenvolvido, o Departamento de Assistência Social em 5 de agosto de 1953, cujo objetivo inicial era o de atender as necessidades materiais de irmãos carentes. Ao final de 1954 além dos trabalhos de ordem doutrinária e espiritual, angariava-se também alimentos, roupas, agasalhos e outros artigos de uso pessoal e doméstico, para as famílias pobres devidamente cadastradas para esse fim. Com o passar do tempo, o grupo foi informado pelo espírito de João Castardelli que a missão não pararia por aí. Deveriam trabalhar para construir um abrigo para crianças órfãs e abandonadas, que inicialmente foi chamada de Casa da Criança André Luiz (os ensinamentos deste, eram desde o início, os mais apreciados pelo grupo tendo Kardec como base); tendo sido inaugurada a Casa André Luiz nº 1 em 26 de janeiro de 1958 à Rua da Estação nº349 – Vila Galvão – Guarulhos.

Nesse ínterim, entre a construção e a inauguração da Casa, o grupo passou a visitar escolas e abrigos existentes segundo conselho dos mentores espirituais. Sua última visita se deu na Casa de Triagem do SSM – Serviço Social de Menores no Tatuapé. Lá observou-se que apesar da ajuda que os menores abandonados carentes necessitavam, havia um problema maior: os menores abandonados e portadores de deficiência mental que não recebiam tratamento adequado às suas necessidades e que acabavam por serem encaminhados ao Juqueri, hospital de tratamento de doentes mentais.

Em 27 de julho de 1957, segundo contatos anteriores com o Serviço Social de Menores no que dizia respeito aos portadores de Deficiência Mental, fomos informados na pessoa do Presidente do Centro Espírita Nosso Lar que aguardariam o término da construção da Casa para enviarem as 15 crianças, conforme convênio que seria firmado e previamente já discutido. Contando-se inicialmente apenas com trabalho voluntário, logo percebeu-se a necessidade de mão-de-obra especializada, pois as 15 crianças constituíram somente o grupo dos primeiros hóspedes além de começarem a chegar também crianças portadoras de deficiência mental severa e profunda. A esta altura a Instituição já estava com seus estatutos reformados tendo definidos a estrutura e os seus objetivos, inclusive o nome Centro Espírita Nosso Lar Casas André Luiz.

Contudo, o Governo do Estado celebrou convênio com a Instituição, e todos os meses enviava novas crianças. A Casa rapidamente atingiu sua capacidade máxima de 212 crianças, chegando-se a ter uma fila de espera de 3 mil internações. Devido a enorme procura tornava-se necessária a construção de uma Casa maior. Em 1959 foi adquirido um terreno de 70.046 m2 para a Casa nº2, localizado em Guarulhos no bairro de Picanço à Rua Eduardo Riedel nº 723, cujo nome foi alterado para Av. André Luiz, em 1974, onde foram construídas 4 unidades em 1962, 1964, 1968 e 1974, perfazendo um total de 35 mil m2 de área construída.

Em 15 de setembro de 1973 foi inaugurado o Auditório Lísias, contando com 270 lugares e toda a instalação adequada para cursos, conferências e apresentações musicais, em homenagem a Lísias, profissional de enfermagem nos serviços de saúde na Colônia Espiritual Nosso Lar.

A Casa II – Unidade de Longa Permanência comporta 4 pavilhões divididos em sala de recepção e espera, dormitórios, banheiros, copas, salas de terapia, sala de Raio X, armazenagem, Enfermaria, Enfermaria semi-intensiva, almoxarifado central, bazar, salão para educação física, Departamento de Atividades Interdisciplinares, Departamento de Ensino e Pesquisa, Serviço de Arquivamento Médico e Estatística, biblioteca, Atendimento médico-odontológico para pacientes e funcionários, Serviço Social do paciente e funcionário, Farmácia, Ambulatório médico.

Os prédios da Administração incluem a manutenção, gráfica, lavanderia com costura e rouparia, Serviço de Nutrição e Dietética, refeitório, Departamento de Recursos Humanos, Departamento Pessoal, Departamento de Recrutamento, Seleção e Treinamento, necrotério, contabilidade e tesouraria, comunicações, anfiteatro, escritórios e estúdios da Rádio Boa Nova. Contamos ainda com área para shows, play-grounds, piscina, quadras de esporte, garagem e estacionamento.

Em 1995, inauguramos a Creche Carmem Camacho Vieira, cujo nome homenageia uma das fundadoras da Instituição cujo objetivo é proporcionar aos filhos dos funcionários, de 0 a 5 anos e seis meses, assistência completa. A partir de 1991, o Ambulatório que atendia até então na Sede Social em Santana, passou a funcionar em suas novas instalações à Rua Vicente Melro nº 349 em Vila Galvão – Guarulhos, atendendo atualmente 800 portadores de deficiência mental
Na Unidade de Longa Permanência atendemos hoje aproximadamente 630 portadores de deficiência mental em regime de internato.

GEBEM - Grupo Espírita Dr. Bezerra de Menezes
Rua Castelo Branco, 200 - Vila Barros - Guarulhos - São Paulo (11) 2405-4597


Mensagem mediunica do espírito Bezerra de Menezes pelo médium Divaldo Pereira Franco no encerramento do 3º Congresso Espírita Brasileiro em Brasilia/DF no dia 18/04/2010

dr. Bezerra de Menezes se utiliza do médium Divaldo Franco para transmitir uma oração de Paz. 4º Congresso Espirita em Paris (2004)

O medium Frederico Menezes incorpora o Dr. Bezerra na Palestra: "Senhor,ensina-nos a orar!".Proferida no 35º MIEP - Movimento de Integração do Espírita Paraibano, realizado no período do carnaval.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Acalme meu passo, Senhor!


Desacelere as batidas do meu coração, acalmando minha mente.
Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.
Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranqüilidade das montanhas.

Retire a tensão dos meus músculos e nervos com a música tranqüilizante dos rios de águas constantes que vivem em minhas lembranças.

Ajude-me a conhecer o poder reparador do sono.

Ensina-me a arte de tirar pequenas férias: reduzir o meu ritmo para contemplar uma flor, papear com um amigo, afagar uma criança, ler um poema, ouvir uma música preferida.

Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa perceber no meio do incessante labor cotidiano dos ruídos, lutas, alegrias, cansaços ou desalentos, a Tua presença constante no meu coração.

Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa entoar o cântico da esperança, sorrir para o meu próximo e calar-me para escutar a Tua voz.

Acalme meu passo, Senhor, e inspire-me a enterrar minhas raízes no solo dos valores duradouros da vida, para que eu possa crescer até as estrelas do meu destino maior.

Obrigado Senhor, pelo dia de hoje, pela família que me deste, meu trabalho e sobretudo pela Tua presença em minha vida.

Em nome de Jesus,
Amém!

A Santa Ceia

Diz uma lenda referente à pintura da Santa Ceia ou “Última Ceia de Jesus com seus Apóstolos”:

Ao conceber este quadro, Leonardo da Vinci deparou-se com uma grande dificuldade:
precisava pintar o bem - na imagem de Jesus, e o mal - na figura de Judas, o amigo que resolvera traí-lo durante o jantar. Interrompeu o trabalho no meio, até que
conseguisse encontrar os modelos ideais.

Certo dia, enquanto assistia a um coral, viu em um dos rapazes a imagem perfeita de Cristo. Convidou-o para o seu ateliê, e reproduziu seus traços em estudos e esboços.

Passaram-se três anos. A “Última Ceia” estava quase pronta, mas Da Vinci ainda não havia encontrado o modelo ideal de Judas. O cardeal, responsável pela igreja, começou a pressioná-lo, exigindo que terminasse logo o mural. Depois de muitos dias procurando, o pintor finalmente encontrou um jovem prematuramente envelhecido, bêbado, esfarrapado, atirado na sarjeta. Imediatamente, pediu aos seus assistentes que o levassem até a igreja. Da Vinci copiava as linhas da impiedade, do pecado, do egoísmo, tão bem delineadas na face do mendigo, que mal conseguia parar em pé.

Quando terminou, o jovem - já um pouco refeito da bebedeira – abriu os olhos e notou a pintura à sua frente. E disse, numa mistura de espanto e tristeza:
- Eu já vi esse quadro antes!
- Quando? Perguntou, surpreso, Da Vinci

Há três anos atrás, antes de eu perder tudo o que tinha, numa época em que eu cantava num coro, tinha uma vida cheia de sonhos e o artista me convidou para posar como modelo para a face de Jesus.

“O Bem e o Mal têm a mesma face; tudo depende apenas da época em que cruzam o caminho de cada ser humano”. 

Então, VIVA O DIA DE HOJE, com toda grandeza de um ser especial! VOCÊ É FILHO DE DEUS!

A limitação dos nossos sentidos


Não somente agasalho que proteja o corpo, mas também o refúgio de conhecimentos superiores que fortaleçam a alma.

Não só a beleza da máscara fisionômica. mas igualmente a formosura e nobreza dos sentimentos.

Não apenas a eugenia que aprimora os músculos, mas também a educação que aperfeiçoa as maneiras.

Não somente a cirurgia que extirpa o defeito orgânico, mas igualmente o esforço próprio que anula o defeito íntimo.

Não só o domicílio confortável para a vida física, mas também a casa invisível dos princípios edificantes em que o espírito se faça útil, estimado e respeitável.

Não apenas os títulos honrosos que ilustram a personalidade transitória, mas igualmente as virtudes comprovadas, na luta objetiva, que enriqueçam a consciência eterna.

Não somente claridade para os olhos mortais, mas também luz divina para o entendimento imperecível.

Não só aspecto agradável, mas igualmente utilidade viva.

Não apenas flores, mas também frutos.

Não somente ensino continuado, mas igualmente demonstração ativa.

Não só teoria excelente, mas também prática santificante.

Não apenas nós, mas igualmente os outros. Disse Mestre: - "Nem só de pão vive o homem."

Apliquemos o sublime conceito ao imenso campo do mundo.

A visão das grandes coisas de Deus escapa a quem olha de perto as coisas humanas.

Bom gosto, harmonia e dignidade na vida exterior constituem dever, mas não nos esqueçamos da pureza, da elevação e dos recursos sublimes da vida interior, com que nos dirigimos para a Eternidade.

A natureza apresenta um belíssimo cenário e está continuamente a nos transmitir mensagens, e o homem continua a teimar em não as ouvir.

Os nossos sentidos, janelas do espírito, limitam extremamente a capacidade de o homem ver e sentir em plenitude. O sentido da visão, por exemplo, somente é capaz de ver as sete faixas vibratórias das cores do arco-íris – do vermelho ao violeta. Abaixo e acima dessa faixa nada vemos. O sentido da audição restringe-se às sete notas da escala musical. Nada ouvimos além disso.

O nosso espírito, portanto, no nível evolutivo em que nos encontramos, continua escravo dos sentidos. Vê o mundo, em todos os seus fenômenos, de forma ilusória, diferente de sua realidade.

No campo das cores, somos ainda felizes por já termos saído da faixa exclusiva do preto e branco. Com a evolução, livre das limitações dos sentidos, adquiriremos a percepção plena do espírito. Imaginem o plano de vida em que teremos, não sete, mas quatorze faixas de percepção vibratória. Quanta beleza teriam a natureza e a música nesse plano!

J. Meirelles

Admiremos a diferença de beleza da natureza, vista a partir da faixa vibratória do preto e branco. E também a beleza da música, não obstante ser percebida com apenas sete notas. Meditemos sobre os textos.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

6 de abril, quinta-feira - Sobre a Oração (vídeo: entrevista J. J. Benitez)

Jasão pergunta: Mestre, por que um homem como tu necessita da oração?

O homem, enquanto padece sua condição de mortal, busca e necessita de respostas. E em verdade te digo eu essa sede de verdade só meu Pai pode aplacar. Nem o poder, nem a fala, nem sequer a sabedoria conduzem o homem ao verdadeiro contato com o Reino do Espírito. É pela oração que o homem trata de se aproximar do infinito. Meu espírito começa a se sentir aflito, e eu também necessito do consolo do meu Pai.

Será por que a verdadeira sabedoria está no Reino de teu Pai?

Não... Meu Pai é a sabedoria.

Então, se eu rezar, posso saciar minha curiosidade e iluminar meu espírito?

Sempre que essa oração nasça realmente do teu espírito. Nenhuma súplica recebe resposta, a não ser que proceda do espírito. Em verdade, em verdade te digo que o homem se equivoca quanto tenta canalizar sua oração e suas petições para o benefício material próprio ou alheio. Essa comunicação com o Reino Divino dos seres de meu Pai só obtém completa resposta quando obedece a uma ânsia de conhecimento ou consolo espiritual. O mais – as necessidades materiais que tanto vos preocupam – não são conseqüência da oração e sim do amor de meu Pai.

Por isso insistes em “buscar o Reino” de Deus e sua justiça?

Sim, Jasão. O resto sempre se dá por acréscimo...

E como devemos pedir?

Como se já o houvéssemos recebido. Lembra que a fé é o verdadeiro suporte dessa súplica espiritual. Quando as orações provêm, em verdade, do espírito humano, às vezes são tão profundas que não podem receber resposta até que a alma entre no Reino de meu Pai. As respostas sempre consistem em realidades espirituais. Se o homem não
alcançou o grau espiritual necessário e aconselhável para assimilar esse conhecimento emanado do reino, deverá esperar, neste mundo ou em outros, até que essa evolução lhe permita reconhecer e compreender as respostas que, aparentemente, não recebeu no momento da petição.

Isso explicaria esse angustioso silêncio que às vezes parece constituir a única
resposta à oração?

Sim, mas não confundas. O silêncio não significa esquecimento. Como te disse, todas as súplicas que nascem do espírito obtêm resposta. Todas... Deixa-me que te explique isso com um exemplo: o filho tem sempre o direito de perguntar aos pais, mas estes podem demorar a responder, à espera de que o jovem adquira suficiente maturidade para compreender. A grande diferença entre os pais humanos e nosso Pai verdadeiro está em que aqueles esquecem às vezes que são obrigados a responder, ainda que seja depois de anos.

Se é assim, ao morrer, todos seremos sábios...

Insisto em que a única sabedoria válida no Reino de meu Pai é a que brota do amor. Depois de provar a morte, ninguém será sábio se não tiver sido em vida... Há uma infinidade de respostas indiretas, de acordo com a capacidade mental e espiritual de quem pede. Mas, quando uma súplica fica temporariamente em branco, é um presságio freqüente de uma resposta que encherá, a seu dia, um espírito enriquecido pela evolução. O amor não é complicado. É vossa natural ignorância que vos precipita na
escuridão e vos inclina à permanente justificação de vossos erros.

Levantando os olhos para as estrelas: Que sentes diante desta beleza?

Tristeza... Se o homem não é capaz de receber em sua alma a grandeza desta obra, como poderá captar a beleza daquele que a criou?

É Deus tão imenso como dizes?

Mais do que pensar na grandiosidade de meu Pai, deves crer na imensidão de sua divina promessa. Ela eleva o espírito do homem e chega a produzir vertigem nas legiões celestiais... O Reino de nosso pai está no coração de todos e cada um dos seres humanos. Só os que despertam à luz do Evangelho o descobrem e nele penetram.

A Verdade é uma e nosso Pai reparte-a gratuitamente. É possível que o gosto e a beleza sejam tão caros quanto a vulgaridade e a fealdade, mas o mesmo não acontece com a verdade: ela é um dom gratuito que dorme em quase todos os irmãos, instruídos ou não, gentis ou não, poderosos ou não, malvados ou não... No coração de meu Pai não há lugar para o ódio... Já deverias saber disso. Proteja-te só dos hipócritas, mas jamais vertas neles o veneno da vingança.

Quem é hipócrita?

Aquele que prega o caminho do Reino Celestial e, em troca, instala-se no mundo. Em verdade te digo que os hipócritas enganam os simples de coração e não satisfazem senão os medíocres.

A quem mais estimas: a um homem espiritual ou a um revolucionário?

Prefiro o homem que atua com amor...

Mas quem pode chegar a amar mais?

Seria melhor ter perguntado: quem pode chegar a compreender mais? Aquele que é capaz de amar a tudo. Mas, atenção, Jasão! Aquele que ama de verdade não coloca a palavra “amor” sobre a porta, preocupado em dar prova disso ao mundo. E aquele que dá, tampouco escreve a palavra “caridade” para que todos o reconheçam. Quando vires essas palavras desavergonhadamente ostentadas no mundo, não duvides que só têm por finalidade enriquecer e engrandecer aqueles que as esgrimem e desfraldam. O Reino de meu Pai é semelhante a uma mulher eu levava um cântaro cheio de farinha. Enquanto marchava por um caminho afastado, a asa do cântaro se rompeu e a farinha se derramou atrás dela por todo o caminho. A mulher não percebeu e não ficou sabendo de sua desgraça. Quando chegou em casa, depositou o cântaro no chão e o encontrou vazio.

Aquele que é capaz de amar tudo... Que difícil é isso!...

Nada é difícil para quem aprendeu a ceder.

Mas que dizes das injustiças? Também devemos aprender a amar os que nos humilham ou tiranizam?

Quando isso ocorrer, pede explicações a teu irmão, mas nunca o odeies. Só quando olhares teus irmãos com caridade poderás sentir-te alegre. Agora começo a compreender por que meu mundo se sente infeliz... O maior erro do teu mundo é sua falta de generosidade. Quem conhece e pratica o amor não costuma ter a necessidade de perdoar: sempre está disposto a compreender tudo.

Deveis ter paciência e confiar. A humanidade às vezes se embriaga e se embota com seus próprios achados e triunfos, esquecendo que seu autêntico estado natural reside na serenidade do espírito. No dia em que despertar de tão pesada letargia, voltarás seus olhos para o caminho do amor: o único que conduz à verdadeira sabedoria.

J.J. Benítez apareció en el programa "La Columna" de Julio Otero el 24 de noviembre de 2003. Charla sobre "Planeta Encantado", Jesús de Nazaret y el fenómeno OVNI.

Link para o arquivo digital (.PPT), Terra Escola dos Espíritos
http://www.4shared.com/document/9Noo5rSw/Terra_escola_dos_Espiritos.html

Acusações contra Jesus

Sobre a Adversidade e as Perseguições

À noite, no acampamento, na volta de Jesus das colinas.

Não deveis permitir que as grandes multidões vos enganem. As que nos ouviram no Templo, e que pareciam crer em nossas prédicas, essas, precisamente, escutam a verdade superficialmente. Muitos poucos permitem que a palavra da verdade golpeie-lhes forte o coração e lance raízes de vida. Os que só conhecem o Evangelho com a mente e não o sentem no coração não podem inspirar confiança quando chegam os maus momentos e os verdadeiros problemas.

Quando os dirigentes dos judeus chegarem a um acordo para destruir o Filho do Homem, e quando tomarem uma única deliberação, então vereis como essas multidões escaparão consternadas ou se afastarão em silêncio. Então, quando a adversidade e a perseguição descerem sobre vós, chegareis a ver como outros (que pensáveis que amavam a verdade) vos abandonarão e renunciarão ao Evangelho. Vós descansastes hoje para vos preparardes para estes tempos que se avizinham. Vigiai, portanto, e rogai para que, pela manhã, possais estar fortalecidos para o que vos aguarda. Ide dormir, meus irmãos e conservai a paz até que nos levantemos amanhã... Um dia a mais para fazer a vontade do Pai e experimentar a alegria de saber que somos seus filhos.

Dos Fariseus

1. Temem Jesus porque são muito conservadores e não desejam perder seu velho prestígio como “mestres de religião”.
2. Sustentam que Jesus é um infrator da lei, porque tem violado o Sábado e muitas outras cerimônias sagradas.
3. Consideram uma blasfêmia que se autoproclame Filho do Divino.
4. Sentem-se ofendidos por essa última denúncia do rabi no Templo.

Dos Saduceus
1. Temem que a crescente simpatia do povo por Jesus ponha em grave perigo a existência da nação. Os romanos, dizem os saduceus, não aceitarão um movimento revolucionário como o que parece pregar Jesus.
2. Essa estranha doutrina do Rabi da Galiléia, pregando a irmandade entre todos os homens, parece-lhes um insulto. São eles os únicos responsáveis pela ordem social e tremem diante de semelhante corrente filosófica.
3. A “limpeza” do Templo por parte do Mestre, provocando a derrubada das mesas dos cambistas e sua retirada do átrio, esgotou a paciência dos saduceus. Segundo se soube, suas perdas econômicas foram elevadas... Como se sabe, tanto Caifás quanto seu sogro, Anãs, têm parte no negócio de intermediários e cambistas de moedas... E ainda que o Mestre fosse o autêntico libertador de Israel, o sumo sacerdote tem o
coração afogado por ódio e ressentimento e não descansará enquanto não o eliminar.

5 DE ABRIL, QUARTA-FEIRA


Ida de Jesus às Colinas para Orar

Davi Zebedeu oferece três serviçais para proteger Jesus. Tens razão, Davi. Mas te equivocas também em algo: o Filho do Homem não precisa que ninguém o defenda. Nenhum homem porá as mãos em cima de mim até a hora em que eu deva dar minha vida, tal como o deseja meu Pai. Esses homens não vão me acompanhar. Quero ir e estar só, para que possa comunicar-me com meu Pai.

O menino João Marcos se oferece para levar a cesta de mantimentos: Mas, Senhor, e se esqueceres a cesta quando fores rezar? Eu irei contigo e carregarei a comida. Assim estarás mais livre para tua devoção. Estarei calado... Não farei perguntas... Ficarei sentado junto à cesta quando te afastares para orar...

Já que anseia de todo o teu coração, não te será negado. Caminharemos juntos e faremos uma boa viagem. Podes perguntar-me tudo o que saia de tua alma. Juntos nos confortaremos e consolaremos. Podes levar o cesto. Quando te sentires cansado, eu te ajudarei. Segue-me...

Conversa de Jesus com João Marcos, na Ida às Colinas

João Marcos relata: Passeamos sem rumo e eu aproveitei a ocasião para confessar minha tristeza e desilusão por não haver podido segui-lo naqueles anos de pregação.

O Mestre, entusiasmado com as lembranças, recomendou-me que não me entristecesse, pelos acontecimentos que estavam a ponto de ocorrer. E profetizou-me algo, que eu chegaria a viver o suficiente para ser um “poderoso mensageiro do reino”.

Falou principalmente da sua infância em Nazaré. Seus pais eram mais pobres do que os meus. Quando lhe perguntei como chegar a ser um “poderoso mensageiro do reino”, o Rabi assim me falou:
Sei que serás fiel ao Evangelho do reino porque conheço tua fé e amor, enraizados em ti graças a teus pais. És o fruto de um lar em que o amor está presente, ainda que, para tua sorte, teus progenitores não exaltaram em excesso sua própria importância. Seu amor não distorceu teu coração. Desfrutas o amor paterno, que assegura uma louvável autoconfiança, estimulando os sentimentos normais de segurança. Também foste afortunado porque, além do afeto que se professam mutuamente, teus pais souberam agir com inteligência e sabedoria. Essa sabedoria foi o que os levou a ser inflexíveis com teus caprichos e fraquezas, respeitando ao mesmo tempo tua personalidade e tuas próprias experiências. Tu, com teu amigo Amos, me buscaste no Jordão. Ambos desejáveis vir comigo. Ao regressardes a Jerusalém, teus pais consentiram. Os de Amos negaram. Amam tanto seu filho que lhe negaram a bendita experiência que tu estás vivendo. Fugindo de casa, Amos teria ferido o amor e sacrificado a lealdade. Os pais sábios, como os teus, procuram fazer com que seus filhos não se vejam forçados a ferir esse amor ou quebrar a lealdade, permitindo-lhes, quando eles chegam à tua idade, que desenvolvam sua independência e que gradualmente vão saboreando sua liberdade. Não existe nada mais desprendido e justo do que o verdadeiro amor. O Amor, João Marcos, é a suprema realidade, quando é outorgado com sabedoria. Mas os pais mortais, lamentavelmente, o convertem em algo perigoso e egoísta. Quando te casares e tiveres teus próprios filhos, cuida que teu amor esteja sempre aconselhado pela sabedoria e guiado pela inteligência. Teu jovem amigo Amos crê neste Evangelho tanto quanto tu, mas não posso confiar plenamente nele. Não estou certo de que o fará ainda nos anos vindouros. Sua infância não tem sido a adequada. Ele é igual a um de meus discípulos, que também não teve uma educação baseada no amor e na sabedoria. Tu, ao contrário, serás um homem digno de confiança, porque teus primeiros oito anos transcorreram em um lar normal e equilibrado. Possuis um forte e bom caráter porque cresceste em uma casa na qual prevalece o amor e reina a sensatez. Tal educação conduz a um tipo de lealdade que me inclina a crer que terminarás o que começaste.

A vida futura de uma criança será feliz ou infeliz, fácil ou difícil, conforme o
que lhe haja permitido viver em seu lar ao longo desses cruciais primeiros anos de sua existência. Enquanto os pais continuarem ensinando a rezar o Pai-Nosso, sobre eles recairá a tremenda responsabilidade de ordenar seus lares de forma que essa palavra (Pai) encerre e signifique um autêntico valor na mente e no coração de seus
filhos.

Sobre como Construir o Novo Reino


Tomé pergunta: Posto que vais voltar para terminar o trabalho do Reino, qual deve ser nossa atitude enquanto estiveres fora, nos assuntos do Pai?

Nem sequer tu, Tomé, consegues compreender o que venho dizendo. Não vos tenho ensinado que vossa relação com o Reino é espiritual e individual? Que mais devo dizer-vos? A queda das nações, a ruptura dos impérios, a destruição dos judeus descrentes, o fim de uma época, e mesmo o fim do mundo, que tem tudo isso a ver com alguém que crê neste Evangelho e que assegurou a proteção da sua vida na segurança do Reino eterno? Vós todos que conheceis Deus e acreditais no Evangelho já recebestes a segurança da vida eterna. Uma vez que vossas vidas estão em mãos do Pai, nada vos deve preocupar. Os cidadãos dos mundos celestiais, os construtores do reino, não devem se preocupar com os abalos temporais ou se perturbar com cataclismos terrestres. Que vos importa que as nações desapareçam, as épocas acabem ou todas as coisas visíveis caiam, se sabeis que vossa vida é um presente do Filho e está eternamente segura no Pai? Tendo vivido a vida temporal com fé e tendo entregue os frutos do espírito como prova de serviço por vossos semelhantes, podeis olhar adiante com confiança.

Cada geração de crentes deve levar adiante sua obra, com vistas ao possível retorno do Filho do Homem, exatamente como cada crente em particular leva adiante sua vida com vistas à inevitável e sempre iminente morte natural. Quando vos tiverdes estabelecido como filhos de Deus, nada mais vos deve preocupar. Mas não vos equivoqueis! Esta fé viva faz se manifestarem, cada vez mais, os frutos daquele divino espírito que foi iluminado pela primeira vez no coração humano.

O fato de haverdes aceitado ser filhos do Reino Celestial não vos poupará de conhecer o repúdio persistente dessas verdades que têm que ver com os frutos espirituais progressivos dos filhos encarnados de Deus. Vós, que haveis estado comigo nos assuntos do Pai na Terra, podeis até abandonar agora esse reino. Se virdes que não vos agrada a forma de serviço da humanidade ao Pai, como indivíduo e como crentes, ouvi enquanto vos conto uma parábola...

A Parábola dos Talentos

Houve certo homem que, antes de partir para uma longa viagem a outro país, chamou cada um dos seus servidores de confiança e a eles entregou todos os seus bens. A um, deu-lhe cinco talentos, a outro, dois, ao terceiro, um. Aos três confiou seus bens de acordo com suas diferentes habilidades. Quando o senhor partiu, seus servidores puseram-se a trabalhar para tirar benefícios da fortuna que lhes havia sido confiada. Imediatamente, o que recebera cinco talentos começou a comerciar com o capital e rapidamente auferiu um lucro de outros cinco talentos. De igual modo, o que havia recebido dois talentos ganhou logo outros dois. E assim fizeram os servidores, com exceção do terceiro. Este saiu, fez um buraco na terra e ali escondeu o talento. Mas o amo voltou inesperadamente e chamou seus servidores.

O que havia recebido cinco talentos adiantou-se até seu senhor e, entregando-lhe os dez talentos, disse-lhe: “Senhor, deste-me cinco talentos e apraz-me apresentar-te outros cinco”.

Disse-lhe então o senhor: “Bem trabalhado, fiel e bom servidor; eu te farei capataz de muitos”.

O que havia recebido dois talentos avançou e disse: “Senhor, entregaste em minhas mãos dois talentos. Vê, ganhei outros dois”. E disse-lhe o amo: “Bom trabalho, leal servidor. Tu também foste fiel, e agora te darei um posto acima dos outros”.

Por último, chegou ao encontro o que havia recebido um só talento.
“Senhor” – disse – “eu te conhecia e percebi que eras um homem astuto porque esperavas lucros quando tu, pessoalmente, não havias trabalhado. Por isso eu temia arriscar o que me havias confiado. Guardei teu dinheiro a salvo na terra e aqui está ele. Agora tens o que te pertence”. Mas seu senhor respondeu: “És um criado indolente e incapaz. Por tuas próprias palavras confessas que sabias que eu iria pedir prestação de contas de um lucro razoável, como teus companheiros fizeram.

Sabendo disso, deverias ao menos ter colocado meu dinheiro nas mãos dos banqueiros, para que, na minha volta, eu pudesse recobrar meu dinheiro com algum rendimento”.

E então disse o senhor ao chefe dos criados: “Tira o talento deste servidor e o
entrega ao que tem dez”.

A todo aquele que tem, lhe será dado muito mais e ele terá abundância. Mas, ao que não tem, até o pouco que tenha lhe será tirado. Não vos podeis conservar omissos nos assuntos do Reino Eterno. Meu Pai exige que todos os seus filhos cresçam em graça e no conhecimento da verdade. Vós, que conheceis essas verdades, deveis incrementar os frutos do espírito e manifestar uma devoção crescente no generoso mister de servir a vossos companheiros. E recordai que o que me derdes ao mais humilde dos meus irmãos o tereis feito a meu serviço. E assim deveis fazer a obra do Pai, agora e mais adiante. Continuai até que eu venha. A verdade é a Vida. O espírito da verdade sempre dirige os Filhos da Luz para novos reinos de realidade espiritual e serviço divino. A verdade não vos é dada para que a cristalizeis em formas feitas, seguras e honráveis. Que pensarão as gerações futuras daqueles depositários da verdade se elas os ouvirem dizer:

“Aqui, Mestre, está a verdade que nos confiaste há centenas ou milhares de anos. Não perdemos nada dela. Preservamos fielmente tudo que nos deste. Não permitimos mudanças no que nos ensinaste. Aqui está a Verdade que nos deste”?

Livremente haveis recebido. Portanto, livremente deveis dar a verdade do céu.
Em verdade, em verdade vos digo que então essa verdade se multiplicará e irradiará nova luz. Até mesmo quando vós mesmos o administreis.

Sobre a Construção do Reino e a Segunda Vinda


Pedro indaga: Mas, Mestre, todos sabemos que estas coisas se passarão quando os novos céus e a nova terra aparecerem. Como saberemos, então, que tu virás para trazer tudo isso?

Pedro, sempre erras porque sempre tentas relacionar o novo ensinamento com o velho. Estás decidido a interpretar mal o ensinamento. Insistis, vós todos, em interpretar o Evangelho de acordo com as vossas crenças estabelecidas. No entanto, procurarei explicar.

Por que continuais aguardando que o Filho do Homem se sente no trono de Davi e esperais que se cumpram os sonhos materiais dos judeus? As coisas que agora apreciais vão acabar, e haverá novo começo a partir do qual o Evangelho do Reino chegará a todo mundo. Quando o Reino chegar a ser plenamente construído, podeis estar seguros de que o Pai do Céu não deixará de vos visitar.

E, assim, meu Pai continuará manifestando sua misericórdia e mostrando seu amor, até mesmo a esse mundo escuro e malvado. E, assim, depois que meu Pai me tenha investido de todo o poder e autoridade, eu também acompanharei vossos destinos e vos guiarei nos assuntos do Reino com a presença de meu espírito, que prontamente será vertido sobre toda a carne. Estarei, portanto, presente entre vós em espírito, e prometo que um dia voltarei a este mundo, no qual vivi esta vida carnal e tive a experiência de simultaneamente revelar Deus ao homem e levar o homem a Deus. Muito cedo hei de vos deixar para realizar a obra que o Pai me confiou, mas tende coragem: eu voltarei algum dia. No entanto, meu espírito da Verdade vos confortará e guiará. Agora me vedes na debilidade e na carne. Mas quando eu voltar será com poder e espírito. O olho da carne vê o Filho do Homem em carne, mas só o olho do espírito contemplará o Filho do Homem glorificado pelo Pai e surgindo na terra com seu próprio nome.

Mas os tempos da reaparição do Filho do Homem apenas são conhecidos pelos “conselhos do Paraíso”. Nem sequer os anjos sabem quando isso ocorrerá. Mas deveis compreender que, quando este Evangelho do Reino tiver sido proclamado em todo o mundo, para salvação dos homens, e quando a plenitude da época houver chegado, o Pai vos enviará outra outorga de designação divina(um interventor), ou o Filho do Homem voltará para encerrar a época.

E agora, em relação à dor de Jerusalém, em verdade vos digo que nem esta geração passará sem que se cumpram minhas palavras. Quanto à nova vinda do Filho do Homem, ninguém na terra nem no céu pode pretender falar. Deveis ser sábios de acordo com a maturidade de uma época. Deveis estar alerta para discernir os sinais dos tempos. Sabeis que, quando a figueira mostra seus tenros ramos e suas folhas crescem, o verão está próximo. De igual forma, quando o mundo houver superado o longo inverno da mentalidade material e assistirdes à vinda da primavera espiritual, então sabereis que é chegado o verão para minha nova visita.

Sobre os Tempos Vindouros e o Destino dos Apóstolos


Rumo à Porta da Fonte, o Rabi disse a seus discípulos:

Vedes essas pedras e esse Templo maciço? Pois em verdade vos digo que chegarão dias muito próximos em que não restará pedra sobre pedra. Todas serão postas abaixo.

Do cimo do Monte das Oliveiras, o grupo se detém, observando Jerusalém banhada pela luz do sol poente. Pergunta um dos discípulos:

Diz-nos, Mestre, como saberemos que esses acontecimentos estão a ponto de ocorrer?

Sim, eu vos contarei sobre os tempos em que esta gente terá enchido a taça de sua iniqüidade e a justiça cairá sobre esta cidade de nossos pais... Estou prestes a vos deixar. Vou ao meu Pai. Quando vos deixar, tomai cuidado para que nenhum homem vos engane. Muitos virão como libertadores e levarão muitos para o mau caminho. Quando ouvirdes rumores sobre guerras, não vos consterneis. Ainda que tudo isso ocorra, o fim de Jerusalém ainda não terá chegado. Tampouco vos deveis preocupar quando fordes entregues às autoridades civis e perseguidos por causa do Evangelho...

Sereis banidos da sinagoga e feitos prisioneiros por minha causa. E alguns de vós morrerão. Quando fordes levados diante de governadores e dirigentes, será como testemunho de vossa fé e para que mostreis firmeza no Evangelho do reino. E quando estiverdes diante de juízes, não vos angustieis de antemão sobre o que deveis dizer: nesse mesmo momento o espírito vos ensinará o que deveis responder a vossos adversários. Nesses dias de dor, até mesmo vossos parentes, manobrados por aqueles que repudiaram o Filho do Homem, vos entregarão à prisão e à morte. Por certo tempo, sereis odiados por minha causa. Mas mesmo nesse momento, não vos abandonarei. Meu espírito não vos deixará desamparados. Sede pacientes! Não duvideis de que o Evangelho do Reino triunfará sobre os inimigos e, no devido tempo, será proclamado por todas as nações.

André: Mas, Mestre, se a Cidade Santa e o Templo vão ser destruídos, e se tu
não estarás aqui para nos orientar, quando deveremos abandonar Jerusalém?

Podeis ficar na cidade depois da minha ida, mesmo nesses tempos de dor e de amarga perseguição. Mas, quando finalmente virdes Jerusalém sitiada pelos exércitos romanos, após a revolta dos falsos profetas, nesse dia sabereis que a desolação terá chegado. Então vos devereis refugiar nas montanhas. E não deixeis que ninguém vos detenha enm que outros entrem. Haverá grande conturbação. Serão os dias de vingança dos pagãos. Quando tiverdes fugido da cidade, essa gente insubordinada cairá sob o fio da espada dos estrangeiros. Entretanto, ei vos dou um aviso: não vos deixeis enganar.

Se algum homem vos disser: “Vede, este é o Libertador!” ou: “Vede, aqui está ele!” não acrediteis. Aparecerão muitos falsos mestres e outros serão levados para o mau caminho. Não vos deixeis enganar. Lembrai que eu vos adverti com antecedência.

O Último Discurso Público de Jesus antes da Crucifixão


Na esplanada dos gentios, na escadaria que rodeava o Santuário:

Durante todo esse tempo tenho estado convosco, indo e vindo por estas terras, proclamando o amor do Pai pelos filhos do homens. Muitos viram a Luz e, por meio da fé entraram no Reino do Céu. De acordo com este ensinamento e pregação, o Pai tem feito coisas maravilhosas, incluindo a ressurreição dos mortos. Muitos enfermos e aflitos têm sido curados porque acreditaram. Mas toda essa proclamação da verdade e essa cura de enfermidades não têm bastado para abrir os olhos dos que se recusam ver a luz e dos que estão decididos a repelir o Evangelho do Reino.

Eu e todos os meus discípulos temos feito o possível para viver em paz com nossos irmãos, para cumprir os mandamentos razoáveis das leis de Moisés e as tradições de Israel. Temos buscado persistentemente a paz, mas os dirigentes desta nação não a terão. Repelindo a Verdade de Deus e a Luz do céu, eles se colocam do lado do erro e da escuridão. Não pode haver paz entre a luz e as trevas, entre ávida e a morte, entre a verdade e o erro. Muitos de vós decidiram crer em meus ensinamentos e já encontraram a liberdade de consciência e a alegria de ser filhos de Deus. Sereis minhas testemunhas de que ofereci a mesma filiação com Deus a toda Israel. Até a esses mesmos homens que hoje buscam minha destruição. Mas eu vos digo mais: até mesmo agora meu Pai receberia esses mestres cegos, esses dirigentes hipócritas, se eles olhassem para Ele e aceitassem sua misericórdia...

Mesmo agora não é tarde demais para que essa gente receba a palavra do céu e dê seu “bem vindo” ao Filho do Homem. Meu Pai tem tratado com clemência essas pessoas.

Geração após geração, temos enviado nossos profetas para que as ensinassem e advertissem. E, geração após geração, elas têm matado nossos enviados. Agora, vossos altos e voluntariosos sacerdotes e obstinados dirigentes continuam fazendo o mesmo.

Assim como Herodes assassinou João, vós vos preparais para destruir o Filho do Homem.
Enquanto houver uma possibilidade de que os judeus olhem para meu Pai e busquem a salvação, o Deus de Abrahão, Isaac e Jacó manterá suas mãos estendidas para vós. Mas, quando houverdes feito transbordar a taça da vossa impertinência, esta nação ficará abandonada a seu próprio arbítrio e caminhará rapidamente para um fim pouco glorioso...

Este povo foi chamado para ser a luz do mundo e para mostrar a glória espiritual de uma raça conhecedora de Deus...Mas até agora vós vos afastartes do cumprimento de vossos privilégios divinos e vossos líderes estão a ponto de cometer a maior loucura de todos os tempos...

E vos digo que estais a ponto de recusar a grande dádiva de Deus a todos os homens e a todas as épocas: a revelação do seu amor.

Em verdade, em verdade vos digo que, uma vez que houverdes repelido esta revelação, o Reino do céu será entregue a outras pessoas. Em nome do pai que me enviou, eu vos aviso: estais a um passo de perder vosso posto no mundo como sustentáculos da Verdade eterna e como mantenedores da lei divina. Justamente agora estou vos oferecendo vossa última oportunidade para que entreis, como as crianças, pela fé sincera, na segurança da salvação do Reino celeste.

Meu Pai tem trabalhado há muito tempo por vossa salvação, e eu desci até vós para mostrar pessoalmente o caminho. Muitos dos judeus e samaritanos, e até dos gentios, passaram a crer no Evangelho do reino. E vós, que deveríeis ser os primeiros a aceitar a luz do céu, tendes recusado a revelação da Verdade de Deus revelado no homem e do homem elevado a Deus. Esta tarde, meus apóstolos estão diante de vós em silêncio. Mas logo escutareis sua voz esclamando pela salvação. Agora, eu vos peço que vós, discípulos meus e crentes no Evangelho do reino, sejais testemunhas de que, uma vez mais, ofereci a Israel e a seus dirigentes a liberdade e a salvação. Seja como for, eu vos advirto de que esses escribas e fariseus sentam-se ainda na cadeira de Moisés. Portanto, até que as potências maiores que dirigem os reinos dos homens não os desterrem e destruam, eu vos ordeno que coopereis com esses maiores de Israel. Não vos peço que nos unais a eles em seus planos para destruir o Filho do Homem, mas apenas aquilo que se relacione com a paz de Israel. Neste assunto, fazei o que vos ordenem e observai a essência das leis. Mas não tomeis como exemplo suas más ações. Recordai que este é o seu pecado: dizem o que é bom, mas não o praticam.

Vós sabeis bem que estes dirigentes vos fazem pesadas cargas sem levantar um dedo para vos ajudar. Eles vos têm oprimido com cerimônias e escravizado com as tradições.
E ainda vos direi mais: esses sacerdotes, concentrados em si mesmos, deleitam se fazendo boas obras, de forma que elas sejam vistas por todos os homens. Enchem-se de faixas e capricham nos bordados de suas vestes oficiais. Solicitam os principais lugares nos festins e os primeiros assentos nas sinagogas. Cobiçam os aplausos e os elogios nos mercados, e desejam ser chamados rabis por todos os homens. E, enquanto buscam todas essas honras, até mesmo tomam, secretamente, as posses das viúvas e se beneficiam dos serviços do Templo sagrado. Por ostentação, esses hipócritas fazem longas orações em público e dão esmola apenas para chamar a atenção dos seus semelhantes.

E assim como deveis honrar vossos chefes e reverenciar vossos mestres, não deveis chamar de “pai”, no sentido espiritual, a nenhum homem. Somente Deus é vosso Pai. Tampouco deveis buscar dominar vossos irmãos do reino. Recordai: eu vos tenho ensinado que aquele que for maior entre vós deve ser servidor de todos. Se pretenderdes exaltar a vós mesmos ante Deus, certamente sereis humilhados; mas aquele que se humilha sinceramente, com certeza será exaltado. Buscai em vossa vida diária não a própria glória, mas a de Deus. Subordinai inteligentemente vossa própria vontade à do Pai do céu. Não confundais minhas palavras. Não trato com maldade esses sacerdotes principais que querem minha destruição. Não tenho maus desejos contra esses escribas e fariseus que repudiam meus ensinamentos. Sei que muitos de vós credes, ainda que em segredo, e que, quando chegar a hora, ireis professar abertamente vossa lealdade ao reino. Mas, como se justificarão a si mesmos
vossos rabis se dizem falar com Deus e tencionam destruir o que vem ao mundo para revelar o Pai?

Ai de vós, escribas e fariseus! Hipócritas!... Vós fechais as portas do Reino do Céu aos homens sinceros, só porque são incultos. Recusais entrar no Reino e, ao mesmo tempo, fazeis tudoo que está a vosso alcance para evitar que os demais entrem. Permaneceis de costas para as portas da salvação e vos opondes a todos os que querem entrar.

Ai de vós, escribas e fariseus! Sois hipócritas! Abarcais o céu e a terra para fazer prosélitos e, quando conseguirdes, não vos contentais até torná-los duas vezes piores do que eram como filhos de pagãos.

Ai de vós, sacerdotes e chefes principais! Dominais a propriedade dos pobres e exigis pesados tributos aos que querem servir a Deus. Vós, que não tendes misericórdia, podeis esperá-la do mundo vindouro?

Ai de vós, falsos mestres! Guias cegos! Que se pode esperar de uma nação em que os cegos dirigem os cegos? Ambos cairão no abismo da destruição.

Ai de vós, que dissimulais quando prestais juramento! Sois fraudadores! Ensinais que um homem pode jurar diante do Templo e romper seu juramento, mas aquele que jura diante do ouro do Templo permanecerá ligado. Sois todos cegos e loucos!...

Nem sequer sois conseqüentes em vossa desonestidade. Quem é o maior? O ouro ou o Templo?

Ensinais que jurar ante o altar não significa nada para um homem. Mas se alguém jura diante da oferenda que está na frente do altar, então permanece como devedor. Sois cegos à verdade? Que é maior? A oferenda ou o altar que santifica a oferenda? Como podeis justificar tanta hipocrisia e desonestidade?

Ai de vós, escribas e fariseus! Vós vos assegurais de que tragam dízimos, menta e cominho, mas, ao mesmo tempo, despreocupai-vos dos assuntos mais importantes da fé, misericórdia e justiça. Com razão deveis fazer uma coisa, mas sem esquecer a outra. Sois certamente mestres cegos e surdos! Espantais os mosquitos e engolis o camelo...

Ai de vós, escribas, fariseus e hipócritas! Sois escrupulosos ao limpar a parte exterior da taça e das fontes, mas no interior permanece a imundície da extorsão, dos excessos e da decepção. Sois espiritualmente cegos. Reconhecei comigo que seria melhor limpar primeiro o interior da taça. Então, o que desbordasse dela limparia o exterior. Malvados réprobos! Fazeis que os atos exteriores de vossa religião estejam conforme a letra, enquanto vossas almas estão empapadas de iniqüidades e assassinatos!

Ai de vós todos, que rechaçais a verdade e desdenhais a misericórdia! Muitos de vós sois como sepulturas caiadas. Por fora parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos humanos e impurezas. Ainda assim, vós que repelis deliberadamente o conselho de Deus, apareceis diante dos homens como santos e retos, enquanto por dentro vossos corações estão inflamados pela hipocrisia.

Ai de vós, falsos guias da nação! Ao longo dos tempos construístes um monumento aos profetas martirizados pelos antigos e agora conspirais para destruir aquele de quem eles falaram. Adornais as tumbas dos justos e elogiais a vós mesmos, dizendo que se houvésseis vivido em tempos de vossos pais não teríeis matado os profetas. E com esse pensamento tão reto, vós vos preparais para assassinar aquele de quem falaram os profetas: o Filho do Homem. Adiante, pois, e enchei até a borda a taça de vossa condenação!

Ai de vós, filhos do pecado! João vos chamou de os rebentos das víboras. E eu me pergunto: como podeis escapar ao juízo que João pronunciou sobre vós? Mas eu vos ofereço, em nome de meu Pai, misericórdia e perdão. Até mesmo agora eu vos ofereço minha mão. Meu Pai vos enviou os profetas e os sábios. Os primeiros, vós os matastes; os segundos, vós os perseguis. Então apareceu João, proclamando a vinda do Filho do Homem, e vós o destruístes, ainda que muitos acreditassem em seus ensinamentos. Compreendeis que chegará um dia terrível, em que o Juiz de toda a terra vos pedirá para prestar contas pela forma com que tendes rechaçado, perseguido e destruído esses mensageiros do céu? Compreendeis que deveis prestar contas de todo este sangue honrado, desde o primeiro profeta, assassinado nos tempos de Zacarias, entre o Santuário e o altar? E vos digo mais: se prosseguirdes com essa conduta impiedosa, essa conta poderá ser exigida até mesmo desta geração que aqui está.

Ó Jerusalém e filhos de Abrahão! Vós apedrejastes os profetas e assassinastes os mestres, mas mesmo agora eu reuniria vossos filhos como a galinha reúne seus pintinhos sob as asas... Mas não quereis!...

Agora eu vos irei deixar. Ouvistes minha mensagem e tomastes vossa decisão. Aqueles de vós que acreditaram no meu Evangelho estarão salvos. Os que escolheram repudiar a oferenda de Deus, não me verão mais ensinar no Templo.

Meu trabalho está feito.
Tende cuidado agora! Eu parto com meus filhos e vossa casa ficará desolada...

O Maior dos Mandamentos


Resposta aos fariseus:

Não há mais do que um mandamento, e esse é o maior de todos. É este:

“Ouve, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, o Senhor é Um. E o amarás com todo o teu
coração e toda a tua alma, com toda a tua mente e com toda a tua força”.

Esse é o primeiro e o grande mandamento. E o segundo é como esse primeiro.

Em realidade, sai diretamente dele, e é:

“Amarás teu próximo como a ti mesmo”.

Não há outro mandamento maior que esses. Neles se fundamentam toda a Lei e os profetas.

Sobre o Matrimônio de Levirato


Resposta aos saduceus:

Todos errais ao fazer tais perguntas, porque não conheceis as Escrituras e o poder vivificante de Deus. Sabeis que os filhos deste mundo podem se casar e ser dados em matrimônio, mas não pareceis compreender que os que se fazem merecedores dos mundos vindouros, por meio da ressurreição dos justos, nem se casam sem são dados em matrimônio. Os que experimentam a ressurreição dentre os mortos são mais como anjos do céu e nunca morrem. Esses ressuscitados são eternamente Filhos de Deus. São os Filhos da Luz.

Vosso próprio pai, Moisés, compreendeu isto. Diante da sarça ardente, ouviu o Pai
dizer: “Sou o Deus de Abrahão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”.

E assim como Moisés, eu declaro que meu Pai não é o Deus dos mortos, mas dos vivos.
Nele todos vós vos reproduzis e possuís vossa existência imortal.

Sobre o Perdão


Pedro: Mestre, Tiago e eu não estamos de acordo sobre teus ensinamentos com respeito à redenção do pecado. Tiago afirma que tu nos ensina que o Pai nos perdoa até antes de pedirmos. Eu sustento que o arrependimento e a confissão devem preceder o perdão. Qual de nós está certo?

Meus irmãos, errais em vossas opiniões porque não compreendeis a natureza das íntimas e amorosas relações entre a criatura e o Criador, entre os homens e Deus. Não alcançais o conhecimento da compaixão compreensiva que os pais sábios têm para com seus filhos imaturos e, às vezes, equivocados. Duvido que um pai inteligente e amoroso precise alguma vez perdoar um filho normal. Relações de compreensão associadas ao amor impedem desavenças que mais tarde requeiram reajuste e arrependimento por parte do filho e perdão por parte do pai.

Digo-vos que uma parte de cada pai vive no filho. E o pai desfruta de prioridade e superioridade de compreensão em todos os assuntos relacionados com o filho. O pai pode ver a imaturidade do filho por meio de sua própria maturidade: a experiência mais amadurecida do velho.

Pois bem, para com os filhos pequenos, o Pai Celestial tem infinita simpatia e compreensão amorosa. O perdão divino, portanto, é inevitável. É inerente e inalienável à infinita compreensão de Deus e a seu perfeito conhecimento de tudo quanto concerne aos juízos errôneos e opções equivocadas do filho. A justiça divina é tão eternamente justa que inclui, inevitavelmente, o perdão compreensivo.

Quando um homem sábio entender os impulsos íntimos de seus semelhantes, ele os amará. E quando amardes vosso irmão, já o tereis perdoado. Esta capacidade de compreender a natureza do homem e perdoar seus aparentes equívocos é divina.

Em verdade vos digo que, se fordes pais sábios, esta deverá ser a forma de amardes e compreenderdes vossos filhos. E até os perdoareis quando um desacordo momentâneo vos houver separado. O filho, sendo imaturo e carente de compreensão quanto à profunda relação pai filho, terá freqüentemente uma sensação de separação diante de seu pai.

Mas o verdadeiro pai nunca admitirá essa separação. O pecado é a experiência da consciência da criatura; não faz parte da consciência de Deus. Vossa falta de capacidade e de vontade de perdoar vossos semelhantes é a medida da vossa imaturidade e a razão dos fracassos na hora de alcançar o amor.

Vós manterdes rancores e alimentais vinganças na proporção direta da vossa
ignorância sobre a natureza interna e os verdadeiros desejos de vossos filhos e do próximo.

O amor é o resultado da divina e íntima necessidade da vida. Funda-se na compreensão, nutre-se do serviço generoso e aperfeiçoa-se na sabedoria.

4 DE ABRIL, TERÇA-FEIRA


Palavras de Despedida para cada um dos Discípulos, na Casa de Simão, o Leproso

A André, o verdadeiro responsável e chefe do grupo de apóstolos, irmão de Pedro:
Que os acontecimentos que estão a ponto de chegar não te desanimem. Mantém tua mão forte entre teus irmãos e toma cuidado para que não te vejam cair no desalento.

A Pedro, o impetuoso:
Não ponhas tua confiança na força da carne nem nas armas de metal. Fundamenta tua pessoa no cimento espiritual das rochas eternas.

A Tiago:
Não desanimes diante das aparências. Permanece firme em tua fé e logo conhecerás a realidade daquilo em que crês.

A Bartolomeu:
Não julgues pelas aparências. Vive tua fé quando tudo parecer que desmorona. Sê fiel à tua missão de embaixador do reino.

A Felipe, o impertubável homem prático do grupo:
Não te intimides pelos acontecimentos que se vão produzir. Permanece tranqüilo, ainda que não possas ver o caminho. Sê leal a teu voto de consagração.

A Mateus:
Não te esqueças da graça que recebeste do reino. Não permitas que ninguém roube tua recompensa eterna. Assim como resistisse às inclinações da natureza mortal, permanece determinado.

A Tomé, o grande cético:
Não importa quão difícil possa ser; agora deves caminhar sobre a fé e não sobre
o que pode ser provado. Não duvides de que eu possa terminar o trabalho que comecei.

Aos gêmeos de Alfeu:
Não permitais que aquilo que não podeis compreender vos esmague. Sede fiéis aos afetos do vosso coração e não coloqueis vossa fé em grandes homens, ou nas atitudes mutáveis das pessoas. Permanecei entre vossos irmãos.

A Simão Zelote, o discípulo mais politizado:
Simão, é possível que te assalte a perplexidade, mas teu espírito se alçará sobre
todos aqueles que se voltem contra si. O que não soubeste aprender de mim, meu espírito te ensinará. Busca as verdadeiras realidades do espírito e deixa de sentir-te atraído por sombras, pelo irreal e material.

A João:
Sê suave. Ama aos teus próprios inimigos. Sê tolerante. E lembra que eu acreditei em ti...

A Judas Iscariotes:
Judas, tenho te amado e tenho rezado para que ames teus irmãos. Não te sintas cansado de fazer o bem. Aviso-te que tenhas cuidado com os resvaladiços caminhos da adulação e com os dardos venenosos do ridículo...

Sobre o Amor


Por que o Amor é tão importante?
É a vela do navio.
Que é o Amor?
Dar.
Dar... Mas dar o quê?
Dar. Desde um olhar até a vida.
Que podem dar os angustiados?
A angústia.
A quem?
À pessoa que lhes quer bem...
E se não tiverem ninguém?
Isso é impossível... Até os que não te conhecem podem amar-te.
E que me dizes de teus inimigos? Também deves amá-los?
Sobretudo a esses... O que ama aos que o amam já recebeu a recompensa.

Sobre Deus


Podes tu explicar de onde vens e como?

Pode o homem pegar as cores na mão?

Pode um menino guardar o mar entre as pregas de sua túnica?

Podem os doutores da lei alterar o curso das estrelas?

Quem tem poder para devolver a fragrância à flor que foi pisoteada pelo boi?

Não me peças que te fale de Deus: sente-o. É o suficiente...

Não há “acima” e “abaixo”. O Amor, quer dizer, o Pai, é o Todo.

3 DE ABRIL, SEGUNDA-FEIRA


Sobre para que veio ao Mundo e sobre a Segunda Vinda

Tenho estado no centro do mundo e me revelado a eles na carne. Encontrei-os a todos embriagados. Não encontrei ninguém sedento. Minha alma sofre pelos filhos dos homens porque estão cegos de coração; não vêem que chegaram vazios ao mundo e tencionam sair vazios do mundo. Agora estão bêbados.

Quando vomitarem seu vinho, se arrependerão...

Talvez os homens pensem que vim para trazer a paz ao mundo. Não sabem que estou aqui para lançar na terra divisão, fogo, espada e guerra... Pois haverá cinco em uma casa: três contra dois e dois contra três; o pai contra o filho, o filho contra o pai. E eles estarão sós.

As gerações futuras compreenderão que a volta do Filho do Homem não se dará pela mão do guerreiro. Esse dia será inesquecível: depois da grande atribulação, um parto de toda a Humanidade – como não terá havido outro desde o princípio do mundo, meu estandarte será visto nos céus por todas as tribos da terra. Essa será minha verdadeira e definitiva volta: sobre as nuvens do céu, como o relâmpago que sai do Oriente e brilha até o Ocidente...

Daquele dia e daquela hora ninguém sabe. Nem os anjos, nem o Filho. Será tão inesperado, que muitos serão pilhados no meio da sua cegueira e iniqüidade...

Ao mundo só falta o princípio que rege o Universo: o Amor.

Quando vos desnudardes sem sentir vergonha, tomardes vossas vestimentas, as colocardes sob os pés como as crianças, e as pisoteardes, então vereis o Filho do
Vivente e não temereis. Deus não tem inimigos.

Os homens são hábeis manipuladores da Verdade. Um pai pode sentir-se aflito com as loucuras do filho, mas nunca condenaria a um mal permanente. O inferno significaria que uma parte da Criação teria escapado das mãos do Pai... E posso assegurar que crer nisso é não conhecer o Pai.

A vida é uma aposta, uma aposta no Amor. É o único bem em jogo desde que se nasce.

Não há aqueles que nunca amaram. Os sanguinários, os tiranos, também estes amam à sua maneira. Quando passarem para o outro lado, levarão um bom susto... Eles se darão conta, ao deixar este mundo, de que ninguém lhes perguntará por seus crimes, riquezas, poder ou beleza. Eles mesmos, e só eles, se convencerão de que a única medida válida, no outro lado, é a do Amor. Se não amaste aqui, em teu tempo, somente tu te sentirás responsável. Os que não tiverem querido amar serão os grandes enganados e, em conseqüência, os últimos no Reino do meu Pai.

Em verdade te digo que todos os nascidos levam o selo da Divindade. Deus é um Deus de amor. Não o fosse, e não seria Deus. Quanto ao castigo ou prêmio, é a nossa própria injustiça que se volta contra nós próprios.

O Filho do Homem só veio para transmitir a vontade do Pai: que todos são seus
filhos!

Que significa ser filho de Deus? Ter sido criado pelo Pai supõe a máxima manifestação de amor. Ele dá tudo sem pedir nada em troca. Eu recebi o encargo de recordar isso. Essa é a minha mensagem. Estais condenados a ser felizes. É questão de tempo. É necessário que o mundo entenda, e ponha em prática que o único meio para ele é o Amor.

Em verdade te digo que a palavra do Pai deverá ser estendida até os confins da terra... Mas isso não implica condicionar ou dobrar minha mensagem à vontade do poder ou das leis humanas. Não é possível que um homem monte dois cavalos ou eu dispare dois arcos. Como não é possível que um criado sirva a dois amos. Senão, ele honrará a um e ofenderá a outro. Ninguém que esteja bebendo vinho velho deseja naquele momento beber vinho novo. Não se verte vinho novo em odres velhos, para que não azede, nem se despeja vinho velho em um vestido novo porque se faria um rasgão.

Da mesma forma te digo: minha mensagem só necessita de corações sinceros que a transmitam; não de palácios ou falsas dignidades e púrpuras que a cubram.

Ai dos que se antepuserem à minha vontade! Minha vontade é que os homens se
amem como os tenho amado. Isso é tudo!

Não tive nem tenho a menor intenção de fundar uma igreja.

Tu necessitas de igreja para chegar ao teu coração? Muito antes de existir a tribo de Davi, muito antes de o homem ser capaz de se erguer sobre si mesmo, meu Pai havia semeado a beleza e a sabedoria na terra. Quem vem antes, portanto, Deus ou a igreja?

Santo é meu Pai. Santos sereis todos vós no dia em que amardes. O amor não necessita de templos ou legiões. Um homem tira o bem ou o mal de seu próprio coração. Um só mandamento vos é dado, e tu sabes qual é...

O dia em que meus discípulos fizerem toda a humanidade saber que o Pai existe, sua
missão estará concluída. O Pai não tem pressa. Em verdade te digo que Ele sabe que terminará triunfando. O homem sofre de cegueira, mas eu vim para abrir-lhes os olhos.

Outros seres já descobriram que é mais vantajoso viver no Amor.

Eu já disse que os tíbios, eu os vomitarei pela minha boca, mas não tentes mortificar teus irmãos na malícia ou na pressa. Deixa que cada espírito encontre
seu caminho. Ele mesmo, ao final, será seu juiz e defensor.

Por que tanto vos preocupais todo com o final, se nem sequer conheceis o princípio?

Já te disse que do outro lado vos espera a surpresa. Deus é tão liberal, que até mesmo permite que te enganes. Ai daqueles que se arrogam o papel de sabedores, respondendo ao erro com o erro e à maldade com a maldade!

Ai dos que monopolizam Deus!

A Voz do Pai


Agora minha alma está perturbada... Que direi? Pai, livra-me desta hora!...
Mas foi para isto que eu vim a esta hora...
Pai, glorifica teu nome!

Produziu-se uma espécie de relâmpago ou labareda. Ouviu-se a seguir uma potente voz metálica:

JÁ GLORIFIQUEI E GLORIFICAREI DE NOVO.

Jesus anuncia aos hebreus assombrados:
Esta voz veio não por mim, mas por vós. Agora vem o julgamento deste mundo: agora vai ser expulso o príncipe deste mundo. E eu, erguido da terra, atrairei
todos os homens até mim...

Mais uma vez Jesus Anuncia sua Morte

Aos sacerdotes que haviam saído do Santuário, ao ouvir aquela enigmática voz:
A luz ainda estará entre vós um pouco mais. Caminhai enquanto tiverdes luz e que a escuridão não vos pegue de surpresa: aquele que caminha na escuridão não sabe para onde vai. Enquanto tiverdes a luz, credes na luz, para que sejais filhos da luz.

Cegos!... Vedes o cisco no olho do vosso irmão, mas não vedes a trave no vosso.

Quando vós tiverdes conseguido tirar a trave de vosso olho, então vereis com clareza e podereis tirar o cisco do olho deles...

Morrer para Viver


Um grupo de gregos interroga Jesus sobre o anúncio de sua morte.

Em verdade, em verdade vos digo que se o grão de trigo lançado na terra não morre, fica só; mas se morre, produz muitos frutos...

Então é preciso morrer para viver!

Quem ama sua vida, a perde. Quem a odeia neste mundo, vai conservá-la para a
vida eterna... E que ocorrerá conosco se te seguirmos?

Quem de mim se aproxima, aproxima-se do fogo. Quem se afasta de mim, afasta-se da vida.

Quem está perto de Zeus está perto do raio. – aforismo grego atribuído a Esopo.

Ao contrário de Zeus, eu, sim, posso vos dar o que nenhum olho viu, o que nenhum ouvido escutou, o que mão nenhuma tocou e o que nunca entrou no coração do homem. Se algum de vós quer me servir, que me siga. Onde eu estiver, ali estará também meu servidor. Se alguém me serve, meu Pai o honrará...

2 DE ABRIL, DOMINGO

Entrada Triunfal de Jesus, Montado no Jumento, em Jerusalém

A multidão acorre ao encontro de Jesus. Há tumulto e muitos jovens e mulheres arrancam flores do roseiral para jogá-las durante a passagem de Jesus. Os sacerdotes gritam para Jesus: Mestre, deverias repreender teus discípulos e exortá-los a que se comportem com mais decoro!

É conveniente que esses meninos acolham o Filho da Paz, a quem os sacerdotes principais repeliram. Seria inútil fazê-los calar... Se assim o fizéssemos, no lugar
deles, as pedras do caminho poderiam falar...

Lamentações sobre Jerusalém

A Caminho de Jerusalém, no cume do Monte das Oliveiras, antes da entrada triunfal, montado no jumento.

Ó Jerusalém, se apenas houvesses sabido, tu também, ao menos neste teu dia, das coisas concernentes à tua paz e que pudeste ter tão livremente...

Mas agora essas glórias estão a ponto de se esconder de teus olhos...

Tu estás a ponto de repelir o Filho da Paz e voltar às costas ao Evangelho da Salvação...

Logo virão os dias em que teus inimigos farão uma trincheira ao teu redor e te assediarão por todos os lados, e te destruirão completamente, até o ponto de não ficar pedra sobre pedra. E tudo isso acontecerá porque não conhecias o tempo de tua divina visita...

Estás a ponto de repelir o presente de Deus, e todos os homens te repelirão.

Sobre as Mulheres


Pedro aproximou-se de Jesus e, com ar conciliador, propôs-lhe que Maria fosse apartada do grupo, já que as mulheres – comentou – não são dignas da vida.

Resposta de Jesus:

Eu a guiarei para fazê-la homem, para que ela se transforme também em espírito vivente, semelhante a vós, homens. Porque toda mulher que se faça homem entrará no Reino dos Céus.

Ai de Vós, Fariseus

Os Fariseus Procuram Ridicularizar Jesus em Público

Com que autoridade fazes estas coisas? Quem te deu semelhante autoridade?

Eu também gostaria de vos fazer outra pergunta. Se me responderdes, eu vos direi com que autoridade faço estes trabalhos. Dizei-me: o batismo de João, de onde vinha? Conseguiu João sua autoridade do céu ou dos homens?

Com respeito ao batismo de João, não podemos responder. Não sabemos...

Pois eu também não vos direi com que autoridade faço o que faço...

Como estais em dúvida sobre a missão de João e contestais os ensinamentos e feitos do Filho do Homem, prestai atenção enquanto vos conto uma parábola.

Certo grande e respeitado latifundiário tinha dois filhos. Desejando que o ajudassem na administração de suas terras, chamou um deles e disse-lhe: “Filho, vai trabalhar hoje na vinha”. E este filho, sem pensar, respondeu ao pai: “Não quero ir”. Mas logo se arrependeu e foi. Quando o pai encontrou o segundo filho, disse-lhe: “Filho, vai trabalhar na vinha”. E este filho, hipócrita e desleal, disse-lhe: “Sim, pai, já vou”. Mas quando seu pai se afastou, ele não foi para a vinha. Deixai-me perguntar: qual destes filhos fez realmente a vontade do pai?

O primeiro filho.

Pois assim eu declaro que os taberneiros e prostitutas, ainda que pareçam recusar o apelo do arrependimento, enxergarão o erro do seu caminho e entrarão no Reino de Deus antes de vós, que tendes grandes pretensões de servir ao Pai do Céu, mas rechaçais os trabalhos do Pai. Não fostes vós, escribas e fariseus, que crestes em João, mas sim os taberneiros e as prostitutas. Tampouco credes em meus ensinamentos, mas as pessoas simples ouvem minha palavra com satisfação.

Vós sabeis como vossos irmãos repeliram os profetas e sabeis bem que estais decididos a repelir o Filho do Homem. Nunca lestes na Escritura sobre a pedra que os construtores desprezaram e que, quando as pessoas a descobriram, fizeram dela a pedra angular? Uma vez mais vos advirto. Se continuardes refutando o Evangelho, o Reino de Deus será levado para longe de vós e entregue a outros, desejosos de receber boas-novas e levar adiante os frutos do espírito. Eu vos digo que existe um mistério sobre essa pedra: quem cair sobre ela, ainda que seja feito em pedaços, salvar-se-á. Mas aquele sobre quem a pedra chamada angular será moído até tornar-se pó. E suas cinzas serão dispensadas aos quatro ventos.

Mas, Mestre, como saberemos estas coisas? Que sinal nos darás para que saibamos que tu és o Filho de Deus?

O Mestre, apontando com o dedo indicador esquerdo para o próprio peito, afirmou:
Destruí este Templo e em três dias reerguê-lo-ei.

Os fariseus recriminam a mulher por ter violado o descanso sabático, e Jesus lhes pergunta:

Dizei-me, de onde vindes?
De Jerusalém.

E como é possível que condeneis uma mulher que caminhou menos de um estádio, enquanto vós caminhaste mais de quinze?

Ai de vós, fariseus! Sois como um cão no estábulo, nem come nem deixa que comam os bois.

Os fariseus provocam: Quem és tu para ensinar-nos onde está a Verdade?

Para que saístes a campo: Para verdes um homem com vestes delicadas? Vossos reis e vossos grandes personagens, vós mesmos, vós vos cobris de vestes de seda e púrpura, mas eu vos digo que não podereis conhecer a Verdade.

Vinte e quatro profetas falaram em Israel e nós seguimos a seu exemplo...

Vóis falais dos que estão mortos e rechaçais aquele que está entre vós...

Diz-nos quem és para que creiamos em ti.

Vós examinais a superfície do céu e da terra e não reconheceis aquele que está
entre vós...

Vós não sabeis examinar este tempo.

Ai de vós, fariseus! Lavais o exterior da taça sem compreender que quem fez o exterior fez também o interior...

Ela Fez o que lhe Saía do Coração

A Hora que se Aproxima

Na casa de José de Arimatéia, conversa com um grupo de estrangeiros de Alexandria, Roma e Atenas:

... Sei que minha hora se aproxima e estou aflito. Percebo que minha gente está decidida a desdenhar o reino, mas fico contente em receber estes estrangeiros que buscam a verdade, que vêm perguntando pelo caminho da Luz. Todavia, meu coração dói por minha gente, e minha alma se angustia pelo que está diante dos meus olhos...

Que posso dizer, quando olho para a frente e vejo o que me vai ocorrer?
Devo dizer: salvai-me dessa hora horrível? Não! Foi para este propósito que vim ao mundo, e esta é a hora. Será melhor dizer e pedir que vos unais a mim:
Pai, glorifica teu nome. Tua vontade será cumprida.

Maria Madalena unge Jesus. Ele responde às críticas dos discípulos:

Deixai-a em paz, todos vós!... Por que molestais por isto, se ela fez o que lhe saía do coração? A vós que murmurais e dizeis que este ungüento deveria ter sido vendido em benefício dos pobres, deixai que eu vos diga eu sempre tereis os pobres convosco para que possais atendê-los a qualquer momento em que vos pareça necessário... Mas eu nem sempre estarei convosco. Cedo estarei com meu Pai!

Fixando os olhos em Judas Iscariotes:

Esta mulher guardou por muito tempo este ungüento para meu corpo, para quando ele fosse sepultado. E agora que lhe pareceu certo fazer a unção, como antecipação de minha morte, não se lhe deve negar tal satisfação. Ao fazer isso, Maria vos reprovou a todos, pois evidenciou fé no que eu disse sobre minha morte e ascensão para o meu Pai do céu. Esta mulher não deve ser condenada pelo que fez esta noite. A todos vós eu digo que nos tempos vindouros, onde quer que se pregue este Evangelho, por todo o mundo, o que ela fez será dito em sua memória.

Cegos de Coração

O Messias é ou não Filho de Davi

Jesus pergunta aos escribas, saduceus e fariseus:
Que pensais do Libertador? Quer dizer, de quem ele é filho?
O Messias é filho de Davi.

Se o Libertador é na verdade filho de Davi, como é que, no salmo que vós
atribuís a Davi, ele mesmo, falando com o espírito, diz:

“O Senhor disse a meu senhor: senta-te à minha direita até que eu faça de teus inimigos o escabelo de teus pés”.

Se Davi o chamou de Senhor, como pode Ele ser filho?

Multidão acorre para ver milagres.

Néscios!... Eu apareci no meio do mundo, e em carne fui visto por eles.

Encontrei todos os homens ébrios, e entre eles não havia ninguém sedento...

Meu espírito sofreu pelos filhos dos homens, porque são cegos de coração e não vêem.

Onde Está a Verdade?


Onde cresce a semente? Na terra. Em verdade, te digo que a verdadeira sabedoria só pode nascer no coração que tenha chegado a ser como o pó... O sábio e o ancião que não hesitarem em perguntar a um bebê de sete dias pelo lugar da Vida, viverão.

Porque muitos primeiros serão os últimos e chegarão a ser um.

Se os que vos guiam vos dizem: “Vede, o Reino está no céu”, então os pássaros do céu vos precederão. Se vos dizem que está no mar, então os peixes do mar vos precederão.

Mas eu te digo que o Reino do meu Pai está dentro e fora de nós. Quando vos conhecerdes, sereis conhecidos e sabereis que sois os filhos do Pai vivente. Mas, se não vos conhecerdes, estareis na pobreza e sereis a pobreza.

Alguma vez escutastes teu próprio coração?

O segredo para possuir a Verdade só está em meu Pai. E em verdade te digo que meu Pai sempre tem estado em teu coração. Tens apenas de olhar “para dentro”... Bem-aventurado o que busca, mesmo que morra crendo que jamais encontrou. E ditoso o que, à força de buscar, encontra. Quando encontrar, ficará perturbado. E, tendo-se perturbado, ficará maravilhado e reinará sobre tudo.

Eu te asseguro que todo aquele que sabe ver o que tem diante dos olhos receberá a revelação do oculto. Não há nada oculto que não venha a ser revelado.

Por Que Estamos Neste Mundo (vídeo: Yahshua - A Verdadeira História)


O mundo é uma ponte. Passais por ele, mas não vos instalais nele. Este mundo é como uma ante-sala do Reino do meu Pai. Prepara-te na ante-sala, a fim de que possas ser admitido na sala de banquete. Sê caminhante que não pára!













Link para arquivos digitais em (.PPT): Sinais de Deus, E Depois da Morte e Sussuros de Deus
http://www.4shared.com/document/KJVSt5dn/E_Depois_da_Morte.html
http://www.4shared.com/document/KkxAgx_P/Sussurros_de_Deus.html
http://www.4shared.com/document/SVa9Ab4o/Sinais_de_Deus.html

JcShow

O que é ser Voluntário!

Acordemos

É sempre fácil examinar as consciências alheias, identificar os erros do próximo, opinar em questões que não nos dizem respeito, indicar as fraquezas dos semelhantes, educar os filhos dos vizinhos, reprovar as deficiências dos companheiros, corrigir os defeitos dos outros, aconselhar o caminho reto a quem passa, receitar paciência a quem sofre e retificar as más qualidades de quem segue conosco... Mas enquanto nos distraimos, em tais incursões a distância de nós mesmos, não passamos de aprendizes que fogem, levianos, à verdade e à lição. Enquanto nos ausentamos do estudo de nossas próprias necessidades, olvidando a aplicação dos princípios superiores que abraçamos na fé viva, somos simplesmente cegos do mundo interior relegados à treva... Despertemos, a nós mesmos, acordemos nossas energias mais profundas para que o ensinamento do Cristo não seja para nós uma bênção que passa, sem proveito à nossa vida, porque o infortúnio maior de todos para a nossa alma eterna é aquele que nos infelicita quando a graça do Alto passa por nós em vão!... Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade. Ditado pelo Espírito André Luiz. Araras, SP: IDE. 1978.